JORNADAS EM ESTUDOS DE GÉNERO NO CONTEXTO LUSÓFONO E ITALIANO

 

O objetivo do nosso projeto é promover uma reflexão em torno da autoria feminina a partir da produção escrita dos países de língua portuguesa e da Itália, tendo como modelos as figuras e obras de Florbela Espanca e Ada Negri. Lembremo-nos pois que os exemplos representativos de obras-primas impuseram, mesmo que inconscientemente, alguns modelos arquetípicos de obras de arte. Estes modelos ou conjuntos de imagens apresentam, nos estudos literários, desde a literatura greco-romana até ao século XX, e mesmo nos tempos atuais, um padrão eurocêntrico, composto, fundamentalmente, por autores homens – modelo combatido tardiamente pelos estudos culturais. Por isso, estudar a produção literária das mulheres é, ainda hoje em dia, pelo menos no contexto lusófono e italiano, questionar o cânone, a opressão sobre as mulheres e sobre a sua produção escrita e até as próprias imposições de uma linguagem misógina.

Nossos objetivos específicos se centram em duas vertentes:

 

1-Tradução das obras de Ada Negri e de Florbela Espanca, numa antologia bilíngue, promovendo assim uma reflexão em torno dos estudos de tradução, bem como dar maior visibilidade às autoras perante o público leitor e a crítica acadêmica em Portugal, Brasil e Itália. Esta antologia bilíngue será publicada sob a chancela do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo como coordenadores os professores Annabela Rita, Maria Lúcia Dal Farra, Fabio Mario da Silva e Michelle Vasconcelos. Os tradutores se dividem por diferentes instituições.

 

1-      Organização de várias jornadas em Portugal, Itália e Brasil, propondo, por exemplo, alguns eixos de discussão:

 

(1)             Diálogos/ Perspetivas dialógicas entre escritoras italianas e dos países de língua portuguesa

(2)             As escritoras na história da literatura italiana

(3)             As escritoras na história da literatura em língua portuguesa

(4)             Os estereótipos femininos e o machismo nas línguas italiana e portuguesa

(5)       Os estudos de tradução de autoras de língua portuguesa e italiana

 

(6)       A correspondência entre Florbela Espanca e Guido Battelli.

Fatos reais e históricos concernentes à relação Battelli/Espanca, colhidos por meio de material publicado ou obtidos por meio de outras fontes,  entrevistas ou testemunhos a pessoas remanescentes.

Descoberta de alguns originais?

Biografia e obra de Guido Battelli no que concerne à Florbela Espanca. Biografia e obra de Florbela Espanca no que concerne à Guido Battelli.

 

 

(7)       A atuação de Battelli sobre a obra ou sobre os escritos de Florbela.

As publicações (de Battelli) da obra de Espanca.

Suas interpretações sobre a obra de Espanca.

Suas divulgações em italiano ou em língua portuguesa sobre a obra de Espanca.

Suas interferências sobre os versos de Espanca.

Suas interferências sobre a publicação da epistolografia de Espanca.

 

(8)       Poemas de Espanca traduzidos por Guido Battelli.

Conhecimento do seu montante.

Recolha.

Abordagem crítica.

 

(9)       Aproximações entre a obra de Florbela e a obra das escritoras italianas contemporâneas mencionadas na citada correspondência, além da obra lírica de Guido Battelli.

Ada Negri (1870-1945)[1]

Condessa di Fiumi (Maria Luisa Fiumi-Petrangeli – 1889-?)[2].

Sibilla Aleramo (Rina Faccio – 1876-1960)[3].

Guido Battelli (1869-1955).

 

(10)     Aproximações entre a obra de Florbela e a obra de outras escritoras italianas presentes ou não na correspondência, mas contemporâneas.

 

(11)     A escrita de Florbela no contexto lusófono-italiano.

Datas dos Eventos:

– em Portugal,  2014.

– na Itália,  2015.

– em Portugal, 2016

– na Itália, 2017

– no Brasil, em 2018

 

I JORNADA EM ESTUDOS DE GÉNERO:

PROGRAMA E CADERNO DE RESUMOS

Programa 1_JORNADA DE LIT.LUSO-ITALIANA

1- Jornada Estudos de Genero_Livro de resumos e CV

II JORNADA EM ESTUDOS DE GÉNERO

PROGRAMA

programma II Giornate sugli Studi di Genere

Maria Lúcia Dal Farra

Fabio Mario da Silva

Annabela Rita

Livia Apa

Ana Luísa Vilela

[1] Ada Negri, tida como a primeira escritora italiana oriunda da classe operária, tem vasta obra poética e em prosa. Dentre a sua poesia encontram-se volumes  simultâneos aos de Florbela: Il libro di Mara (1919), I canti dell´isola (1925), Vespertina (1930).

[2] A Condessa di Fiumi tem obra romanesca: Nel silenzio (1917), La moglie (1932), Sua Maestra la Vita (1935), L´orto della vedova (1937), Passione, etc, e, em versos: Solitudine (1920), etc.

[3] Sibilla Aleramo, narradora e prosadora, considerada importante feminista, tem também obra em versos simultânea à de Florbela, tal como Momenti, (1921), Endimione (1923) e Poesie (1929).